GPS NDrive: Desembalado e Hackeado – Review

Numa dessas ofertas que aparecem por ai acabei comprando um GPS da NDrive. Vamos dizer que algumas parcelas no valor de um almoço no McDonalds.

Certo de que compras feitas fora da loja são asseguradas pelo CDC com o direito de devolução em até 7 dias, fechei a compra. Nesta última segunda feira recebi o aparelho.

Depois de desembalar o aparelho, percebe-se que é algo bem feito. Sua carcaça é emborrachada, sua tela se encaixa bem na moldura, e com exceção do slot para cartão MicroSD, porta USB e fone de ouvido, um pequeno auto falante na traseira, o corpo do aparelho é perfeitamente liso, numa cor preta fosca.

A primeira coisa que fiz foi baixar o software “NDrive Update Agent” do site do fabricante, e verifiquei que o aparelho estava com os últimos mapas disponíveis. Para testar a importação de arquivos .kml, baixei um do site maparadar.com, e depois de copiado pelo próprio Windows, acessei as opções do aparelho e fiz a importação sem problemas.

Numa primeira volta para testar, deu para perceber que a roteirização é boa e o mapa é recente. Infelizmente, de três radares que passei, ele só acusou com som um deles, apesar de todos terem seu ícone mostrado na tela.

Na manhã seguinte, quando iria fazer um teste num percurso mais longo, o aparelho travou, sem melhorar após utilizar o botão de reset, na lateral. Já me imaginei devolvendo a peça, ainda mais quando o fabricante, português, respondeu que por causa da anomalia eu deveria trocar a unidade.

Como não desisto tão facilmente, uma rápida pesquisa no Google mostrou que várias pessoas tinham esse problema, e a solução era deixar a bateria acabar. Ditto, algumas horinhas ligadas, a bateria esgotou-se e o aparelho voltou ao normal.

Tentei então conecta-lo ao meu laptop, e a um PC de mesa depois disso, e o mesmo teve problemas para exibir as pastas do aparelho. Apesar do software da NDrive conseguir ler as informações do GPS pela porta USB, o ActiveSync não funcionava, nem no Windows 7, nem no Windows XP. Outra pesquisa e me revelou diversos “workarrounds”, sendo que o único que funcionou foi no Windows XP com ActiveSync 4.5: Após o aparelho tentar se conectar, interromper o processo “rapimgr.exe” e iniciar ele novamente. Funcionou, as pastas apareceram no “Meu Computador”. Um outro site pedia para configurar a rede com IP Automático, mas em todas as máquinas que uso estão nessa configuração.

Já estava desistindo dessa conexão quando ao retornar em casa, o aparelho funcionou corretamente no meu Desktop. Até onde entendi parece que o problema está relacionado com a detecção do aparelho pelo Windows. Vou tentar investigar isso melhor depois.

Depois disso, sinal verde para a alegria. De posse de um cartão MicroSD de 1GB e várias informações que li no site gpsinfo.com.br consegui acessar o Windows CE 6 do aparelho, instalar outro software de GPS e ainda por cima deixar o original imaculado, com um plus de um menu bacana para escolher qual usar. Megaboga!

Falando sobre o Hardware, acredito que tenha um total de 512MB de flash interna, dividida em várias partições, sendo que as acessíveis tem 44 e 403 megabytes. Não alterei nada interno, mas sim usei tudo pelo cartão MicroSD. Essa maneira de configurar para mim foi uma ótima vantagem. Tiro o cartão e o GPS volta a ser como veio de portugal. O processador é compatível com ARM, um SiRF Atlas III rodando a 372MHz.

A antena dele fica posicionada na traseira, em cima, e não demorou mais que poucos minutos para me posicionar a primeira vez. Em todas as outras ele passou a posicionar em segundos, e nesses dois dias, não perdeu o sinal nem uma vez. Muito mais confiável que o GPS interno do N95.

A touch screen dele, de 3,5″ com resolução de 320×240 (apesar de no site do fabricante constar outra), tem uma imagem bem definida, mostra bem as cores, porém é pouco sensivel ao toque perto das beiradas da tela: parece que nas bordas, o plástico é mais grosso e não responde a um toque mais leve, suficiente para acionar a região central da tela.

O veredicto? Pelo preço que foi pago, faz bem mais que o esperado. O software embarcado pode não ser dos melhores, mas não vai te deixar perdido, e ainda importa direto do Google Earth. Tem seus bugs, mas nada crítico, e de posse de um simples cartão MicroSD e um pouquinho de leitura, você deixa o aparelho do seu gosto. Vale a pena.

(7420 KB)
Watch on posterous



Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s